Wednesday, July 03, 2013

(In)Tolerância gay

Nem tenho muito o que descrever. Tirando a violência, fiquei mais impressionada com a loira que se comportava feito uma alucinada até os policiais chegarem. Então ela se tornou uma doce criatura, preocupada com um bebê e aberta ao diálogo sereno. Outra coisa legal foi ver a turba enfurecida desaparecendo após a chegada dos policiais. Aí está a diferença entre coragem e covardia. Você mesmo pode comparar a atitude do pregador e a do gordo, da loira e da turba. Se fosse no Brasil, não faltaria formador de opinião dizendo que a culpa foi dos pregadores e que os agressores são apenas uma minoria infiltrada no movimento gay, tão pacífico. Mas eu queria mesmo ver a repercurssão se evangélicos fizessem a mesma coisa com dois gays.