Wednesday, January 04, 2012

Militância escatológica

Estava pra lá e pra cá na Internet, quando tive a sorte de cair num site militante. Nem me refiro a partido. Digo um desses sites que servem para extrair a nossa banha das "trevas do conhecimento" (olha o linguajar teológico que não me engana). Um site de alerta. Um site de gente supimpa.

Havia uma denúncia. Era contra dirigir bêbado. Como alertavam? Com fotos. De gente. Trucidada. Entenda bem o que nem mesmo eu entendi. Fotos de pessoas que mais pareciam do avesso, com avisos como VEJA O QUE ACONTECE QUANDO SE DIRIGE EMBRIAGADO! Não, não entendi a proposta. Isso não causa revolta, mas nojo. É como se alguém esfregasse um bife sangrento na minha cara, gritando: "TOMA ESSE PEDAÇO SANGRENTO DE REALIDADE NA CARA, SUA PIMPONA ALIENADA!"

O engraçado é que gente assim assume uma postura do tipo lutei-na-frente-oriental-enquanto-você-caçava-framboesas. É um fingimento que só.

Sempre que vejo coisas desse tipo (como nos pacotes de maços de cigarro com fotos de cadáveres no necrotério), a impressão que me dá é que algum histérico babão quer escandalizar aos berros a vovó que (por supuesto) vive em meu coração. Querem me (nos) chocar. Para usar um termo dos povos da minha cidade, querem deixar a galera bolada. Veja, não entendo qual a outra razão de se colocar foto de gente do avesso nessas campanhas. Se você botar a foto de um cara com a cabeça estourada e a legenda OLHA O QUE ACONTECE QUANDO SE TROCA TIROS COM A POLÍCIA, isso vai servir mesmo para diminuir a criminalidade?

Essa histeria é meio escatológica e meio estética. Fico com a impressão que querem fazer denúncias provocando o nojo e a sensação de feiúra.

A Internet é uma desgraça. Mas bem feito para mim. Tive ócio e fui punida.

3 comments:

Adalberto Queiroz said...

LOL...Já havia pensado isso e não dividi com ninguém.
Sempre bom vir aqui e, ainda mais, participar das Conversas Bizantinas.
Bom domingo, Tania.
Amitiés.
BetoQ.

Cláudio said...

Então você voltou do exílio! De volta pra minha lista de links.

Adilson J. da Silva said...

Olá! Vi essa tua postagem no LIEBERTATUM e resolvi te visistar! Sou um socorrista do Corpo de Bombeiros da PMPR, e recentemente fui professor de Filosofia alguns meses pela rede pública, mas desisti de ensinar: não há mais o que fazer por uma sociedade que foi doutrinada pela educação esquerdista sob as orientações do MEC! Tanja, embora tua postagem, de um ponto de vista moral, seja um chamado à racionalidade civil, me soou muito triste, pois demonstra o quanto as pessoas ainda devem aprender sobre dignidade alheia! Como um profissional que sempre tem contato com todo acidentes automobilísticos que vitimam humanos; e sempre soube que muitas das imagens das vítimas eram postadas por telespectadores na internet, facebook, orkut, etc. Durante meus trabalhos de salvar vidas, ou retirar corpos de falecidos de automóveis retorcidos, sempre me incomodava o fato de pessoas de várias idades, incluindo crianças, sentindo prazer em registras aquelas terríveis imagens com suas máquinas fotográficas ou celulares. Aquilo sempre me enfureceu! Nesses meus anos de trabalho pesado, vi centenas de imagens aterrorizantes, e cada vez que as via (e ainda vejo em minhas lembranças) toda minha estrutura era abalada de tal forma que a única coisa que ultimamente procuro pensar, que desejo e que suplico, é alcançar um mínimo de entendimento de nós mesmos, humanos. Tenho a convicção de que a única coisa boa que pude extrair daqueles acidentes é a ideia de que devemos mais e mais valorizar o espírito humano, enquanto uma estrutura que deve ser aperfeiçoada no convívio com o seu semelhante! É muito comum os progressistas recorrerem aos vazios da história para acusar a religião de ocultar ou sabotar o saber das massas! Mas, e quanto às massas de hoje que, mesmo possuindo grandes recursos tecnológicos, se valem da estupidez para denegrir e agredir a dignidade alheia? Ninguém ousa acusar? Parabéns, Tanja, pela boa análise!