Wednesday, December 28, 2011

Feliz Natal

Disse um amigo: "Escreve uma mensagem de Natal". Acontece que a inspiração não me ajudava. Fora que sempre é possível encontrar por aí alguma coisa muito boa. Cheguei a pensar em indicar o site do Pe. Paulo Ricardo. Ou a homilia do Papa na Missa do Galo. Acabei não fazendo nada. Nem conseguia pensar em nada. Mas de repente me veio a seguinte notícia:

Ataques no domingo de Natal na Nigéria deixam mais de 30 mortos


Horrível. Cruel. Monstruoso. Que dizer de uma coisa dessas? Logo no Natal! Mas aí me veio à cabeça uma coisa que um padre me disse uma vez: "Apenas o fato de você ir à igreja aos domingos já é um testemunho de fé". Quantas vezes a gente não se pergunta como tem gente que só vai por ir à missa? Quantas vezes a gente não vai só por ir? Ai, dúvidas... Só que ao se dar conta de que apenas o fato de ir à missa provoca muito ódio, você percebe que essas questões deixam de fazer sentido. Só o fato de você estar na igreja é motivo de quererem matar você. Não interessa se fulano vai assistir à missa de corpo presente ou não. Estar na igreja é então algo maior do que parece.

Aquelas pessoas são mártires. Derramaram o sangue com consciência? Não sei. Talvez elas soubessem que aquilo poderia acontecer qualquer dia. Talvez elas não tivessem a menor idéia. Você e eu podemos levantar muitas duvidas. Agora, o fato é que alguém não teve nenhuma sobre a necessidade de elas morrerem. Apenas a fé que as levou a ir à missa foi suficiente para que fossem mortas. E se você morre por causa da sua fé, acho que você é mártir. Sabendo disso ou não. Veja o caso de Herodes e os jovens mártires. Ao saber que o nascimento do Salvador estava próximo, ele mandou matar muitas, muitas crianças. Elas também não sabiam que morriam por causa de Cristo! Morreram. E agora são mártires. Tanto elas como os mais de 30 mortos no ataque na Nigéria, amém.

Pedagogia estranha, muito estranha. Você pode não dar o menor valor a nada disso. Nenhum mesmo. Acontece que alguém com muito ódio fez questão de lembrar como isso tem valor sim, senhor. Tanto que cobraram um preço elevado, o de sangue. Aquele mesmo que Jesus Cristo ofereceu de si mesmo para todos nós.

Qual a razão desse ódio tão grande? Só pode ser uma resposta (inútil) a algo muito grande. Há mais de 2000 anos, Deus habitou entre nós. Entenda bem isso. Tudo, tudo de mais maligno nesse mundo tem sido feito para destruir aquele acontecimento. Não se engane. Há mentiras, perseguições, matanças. Acontece que não há horror que não seja pequeno diante do Mistério da Encarnação. Explodam igrejas, metralhem fiéis, zombem do que cremos, fraquejemos todos diante de Deus... Nada disso importa. Nada. Porque há mais de 2000 anos, o fato é que Nosso Deus habitou entre nós! E isso, bem, isso ninguém pode mudar. Ocorra o que ocorrer

@@@

Deus podia ter respondido à violência do mundo com outra violência. Só que isso não teria mais fim, nem para o próprio Deus. Como resolver o problema? A única forma de terminar com a violência foi através da mais pura inocência. Veio então ao mundo o Menino-Deus, encarnado no ventre da Virgem, pelo poder do Espírito Santo. Abraçar essa criança é sinônimo de salvação.

 @@@

Desejo a todos um feliz Natal!





Saturday, December 24, 2011

Cantarei amores

Eu vou cantar o que é o amor.

É você querer rir de uma piada que o amado faz, só que na hora em que você está bebendo coca-cola. Um fato que à lembrança luto e horror me esquivam.

É você marcar de encontrar o amado num lugar que em condições normais de temperatura e pressão você jamais iria, mas tudo é tão lindo durante o amor, né? Você diz que vai só para fazer um agrado, vai, e se perde. Aí quando se lembra que existe um trocinho chamado celular, descobre que ele créééééu. E quando você se acha (depois de horas), vê que o amado já foi, mas restaram os que descobriram há pouco que têm um bilu-bilu, loucos para um test-drive. 

É você mandar um e-mail cheio de manhas e descobrir que sem querer mandou para um homônimo babão do seu trabalho. (Oh, desce cá uma lágrima dos olhos...)

É você usar um perfume para ver se chama a atenção dele, mas aí escuta do cara: "Nossa, você está sentido esse cheiro? Parece até o da minha avó".

É achar um cara interessante demais, até o dia em que ele diz seguir um avatar cósmico que vai nos salvar do Kali-Yuga ou que já saiu com travesti (isso quando não diz as duas coisas juntas)

 
Ah, mas é bom amar.

Friday, December 23, 2011

Segunda realidade

Estou lá vendo o Conta Corrente quando um zé ruela do cinema diz: "Nunca foi tão bom morar no Rio." Isso depois de ele ter dito, com a sem-vergonhice típica que o Olavo definiu como "inocência perversa", que os produtores de cinema estavam ganhando bastantes patrocínios dos governantes. Rio de Janeiro, onde bueiros explodem, pessoas são incineradas, há intervenções militares para conter grupos paramilitares etc etc etc. Mas também no Conta Corrente, outro dia, um economista afirmou que o Brasil era um dos países mais seguros e atrativos para se investir, "afinal estamos bem protegidos da crise mundial". O camarada disse isso logo após uma nota informando que nosso país cresceu menos que a zona do euro! Que audácia!

Outro dia, sou informada que o Congresso permitiu que a WWF fosse consultada sobre o projeto do Código Florestal. Na hora, pensei: "Ué? Quer dizer que chegamos ao ponto de consultar ONG estrangeira desse jeito tão descarado para criar leis?" Alguém poderia usar uma desculpam chinfrim: "Ah, mas é WWF BRASILLL." Então tá. Mas isso é que nem partido comunista... O mais básico é que ninguém comentou patati-patatá nenhum sobre isso.

Saiu o número de homicídios no Brasil, que se não me engano chegava a 49 mil por ano. Não sei se você sabe, mas a Alemanha Nazista sofreu quase 50 mil baixas na campanha polonesa em 39. É a mesma quantidade de baixas que os EUA sofreram em toda a Guerra do Vietnã. No Paraguai, o Brasil parece ter sofrido entre 80 mil e 100 mil baixas. Era mais seguro caçar Solano Lopez nos charcos paraguaios ou se enfiar nos arrozais do Vietnã que morar hoje no Brasil. E as pessoas estão mais preocupadas com a mulher que sentou o cacete num cãozinho! Claro que bater sem dó num bichinho é crueldade. Mas que dizer de pessoas que ficam putas ao verem um bicho sendo morto mas só dizem "é, pois é, que chatinho" diante do assassinato anual de 50 mil pessoas?

Nos últimos tempos, Protógenes Queiróz, cujo nome mais parece mistura de personagem de diálogo platônico com outro de romance português, cismou de querer abrir uma "CPI da privataria tucana" (inspirado pelo livro A privataria tucana). Diante de milhares de acusações de corrupção do governo dessa presidente esquisita, qual a razão de os caras resolverem investigar indícios de irregularidades de um troço que houve num governo de 13 anos atrás? Com licença, mas é como um sujeito tentando agarrar o seu filhinho e você buscando um guarda para prender fulaninho que faz xixi diante do grande teatro do mundo. Vamos lembrar que o Seu Delegado é do PCdoB, cuja moralidade pode ser averiguada pela filhadaputice desenxabida ao chorar a morte do bizarro e maligno Kim Jong-Il. Gêmeas sexagenárias prostitutas da Holanda são muito mais honradas que esse saco de cocozão que é o PCdoB!

Falta de medida da economia e de onde mora, interferência estrangeira em leis domésticas, matanças horripilantes, desvio cretino do foco do noticiário. Alguns exemplos de que tipo de lugar a gente vive.

Wednesday, December 21, 2011

Orgulhos climáticos

Vi a entrevista com o Prof. Ricardo Augusto Felício no JR News outro dia. Abaixo está só o que disponibilizaram no Portal R7:



Não entendo coisinha nenhuma do assunto. Só que tenho algum bom senso. E aí está o meu problema. Soa muito bizarro para mim *supor* que o ser humano é responsável pela alteração das condições ambientais do planeta. Bizarro e sem precedentes. Veja os antigos egípcios. Quando eles falavam que faraó era deus, eram até mais humildes. Nunca ouvi dizer que faraó podia alterar as condições de vida do planeta! Bom, quando você ouve falar que um dia acreditaram que faraó era deus, tenho certeza que você até dá um sorriso. Agora, quando dizem que se você ligar a lâmpada da sala ou andar de carro o ecossistema global vai ser transformado, nem duvido que talvez você ache a idéia muito científica (=coisa que pessoas bacanas adoram). Menos, amor.

Sunday, December 18, 2011

Escatologia

O que é pior, tacar fogo na bandeira de um país ou mijar em quem faz isso? Manifestantes clamando pelo genocídio do Ocidente ou arremessar cocô neles? Pensando nisso, imaginei que há algo muito melhor que jogar bombas em capitais ou dar tiro nos outros. Guerra melhor é a escatológica.

Vamos pensar na Palestina. Toda hora eles tacam fogo em bandeiras, gritam palavras de ódio e tal. De repente eles jogam até mísseis. A primeira reação normal é devolver com mísseis, mas neguinho reclama da violência. Que fazer? A resposta é cocô. Você manda três bombardeiros para arremessarem uns 1200kg de cocô no povo. Ou então você manda tropas especiais mijarem nos monumentos mais queridos do inimigo (e ainda posta depois no Youtube). Se os caras pensarem em declarar guerra porque você postou um vídeo do túmulo do Yasser Arafat sendo mijado, você pode alegar que a resposta militar é desproporcional e que quem vai arcar com o ônus da guerra são eles. (Se bem que isso pode servir de uma bela desculpa para você distribuir cacetadas.) Isso pode se aplicar a vários países, como o Irã. No lugar de bombardear usinas nucleares iranianas, por que não cagar na cabeça da população de Teerã? Não haverá mortos ou feridos.

A mesma coisa em relação a confrontos com estudantes. Imagina só como não seria durante a invasão da reitoria da USP. Poderia ter sido muito melhor se no lugar das porretadas dessem um banho de xixi nos vagabundos. A mesma coisa com os manifestantes dos vários Occupy. Se tropas especiais arremessassem cocô naquele povo, não haveria mais manifestação nenhuma.