Wednesday, December 28, 2011

Feliz Natal

Disse um amigo: "Escreve uma mensagem de Natal". Acontece que a inspiração não me ajudava. Fora que sempre é possível encontrar por aí alguma coisa muito boa. Cheguei a pensar em indicar o site do Pe. Paulo Ricardo. Ou a homilia do Papa na Missa do Galo. Acabei não fazendo nada. Nem conseguia pensar em nada. Mas de repente me veio a seguinte notícia:

Ataques no domingo de Natal na Nigéria deixam mais de 30 mortos


Horrível. Cruel. Monstruoso. Que dizer de uma coisa dessas? Logo no Natal! Mas aí me veio à cabeça uma coisa que um padre me disse uma vez: "Apenas o fato de você ir à igreja aos domingos já é um testemunho de fé". Quantas vezes a gente não se pergunta como tem gente que só vai por ir à missa? Quantas vezes a gente não vai só por ir? Ai, dúvidas... Só que ao se dar conta de que apenas o fato de ir à missa provoca muito ódio, você percebe que essas questões deixam de fazer sentido. Só o fato de você estar na igreja é motivo de quererem matar você. Não interessa se fulano vai assistir à missa de corpo presente ou não. Estar na igreja é então algo maior do que parece.

Aquelas pessoas são mártires. Derramaram o sangue com consciência? Não sei. Talvez elas soubessem que aquilo poderia acontecer qualquer dia. Talvez elas não tivessem a menor idéia. Você e eu podemos levantar muitas duvidas. Agora, o fato é que alguém não teve nenhuma sobre a necessidade de elas morrerem. Apenas a fé que as levou a ir à missa foi suficiente para que fossem mortas. E se você morre por causa da sua fé, acho que você é mártir. Sabendo disso ou não. Veja o caso de Herodes e os jovens mártires. Ao saber que o nascimento do Salvador estava próximo, ele mandou matar muitas, muitas crianças. Elas também não sabiam que morriam por causa de Cristo! Morreram. E agora são mártires. Tanto elas como os mais de 30 mortos no ataque na Nigéria, amém.

Pedagogia estranha, muito estranha. Você pode não dar o menor valor a nada disso. Nenhum mesmo. Acontece que alguém com muito ódio fez questão de lembrar como isso tem valor sim, senhor. Tanto que cobraram um preço elevado, o de sangue. Aquele mesmo que Jesus Cristo ofereceu de si mesmo para todos nós.

Qual a razão desse ódio tão grande? Só pode ser uma resposta (inútil) a algo muito grande. Há mais de 2000 anos, Deus habitou entre nós. Entenda bem isso. Tudo, tudo de mais maligno nesse mundo tem sido feito para destruir aquele acontecimento. Não se engane. Há mentiras, perseguições, matanças. Acontece que não há horror que não seja pequeno diante do Mistério da Encarnação. Explodam igrejas, metralhem fiéis, zombem do que cremos, fraquejemos todos diante de Deus... Nada disso importa. Nada. Porque há mais de 2000 anos, o fato é que Nosso Deus habitou entre nós! E isso, bem, isso ninguém pode mudar. Ocorra o que ocorrer

@@@

Deus podia ter respondido à violência do mundo com outra violência. Só que isso não teria mais fim, nem para o próprio Deus. Como resolver o problema? A única forma de terminar com a violência foi através da mais pura inocência. Veio então ao mundo o Menino-Deus, encarnado no ventre da Virgem, pelo poder do Espírito Santo. Abraçar essa criança é sinônimo de salvação.

 @@@

Desejo a todos um feliz Natal!





2 comments:

trombone com vara said...

Belo, muito belo texto.
Voce é uma pessoa de coragem, parabéns.
Deus não pode exterminar a violência, assim como não pode se impor a nós. Ele espera, pacientemente que a Ele nos dirijamos. Seu amor não nos é imposto, é oferecido.
Bom ano pra voce.

Larissa L. said...

Feliz natal, Tanja.

Eu queria um dia entender a lógica torta que consegue classificar como mártires aquele que se explode e mata uma galera e a própria galera que foi explodida.
Não estou dizendo que você definiu terroristas suicidas como mártires, só que eles costumam assim se definir.