Tuesday, June 15, 2010

Copa do mundo! (3)

Hoje tomei um susto. Pertinho de um jogador da Holanda após a partida (ela venceu a Dinamarca por 2x0), apareceu um sujeito igualzinho ao Hindenburg! Quando digo "igualzinho", é no estilo separados-ao-nascer. Estou boba até agora. A única diferença era o bigode. O do Hindenburg fazia uma curva para cima. O do sósia parecia um U de cabeça para baixo. Só podia ser o Hindenburg disfarçado! O Super-Homem não se disfarçava com um óculos? Por que o marechal não poderia se disfarçar com um leve penteado no bigode?

Tentei achar vídeos/fotos do sósia para comparar os dois. 45 minutos sem êxito e sem acréscimo. Snif. Vou ser obrigada a improvisar uma comparação. Veja só:


Paul Ludwig Hans Anton von Beneckendorff und von Hindenburg e o sósia da delegação holandesa de futebol.

Impressionante. Semelhantes em tudo, exceto no bigode (e no escudinho). Irmãos e irmãs, tenham fé nas minhas palavras.

Por falar em fé, vou ter que dar uma escapadinha do assunto Copa. É que me lembrei de outra coisa estranha. Num colégio do Ceará, alunos viram uma assombração. Não falo do currículo do MEC. Nem de visita de algum candidato à presidência. Era assombração-assombração mesmo! Gente que já morreu, que cisma de aparecer, essas coisas. 25 alunos pararam no hospital, com crise nervosa. (Foi como se tivessem sido vítimas de um bullying do além.) Chamaram até um padre: "O padre Hélio Correia, que também é parapsicólogo, fez uma palestra para explicar aos alunos o que está acontecendo. Para ele, o fenômeno é uma histeria coletiva. 'De repente, uma surtou e isso contagiou as demais garotas', comentou." Todos nós que vimos O exorcista fazemos uma idéia da reação de sacerdotes ao ouvirem falar de aparições sobrenaturais. Agora, o que vem a ser um parapsicólogo? Pe. Quevedo? Olha, minha opinião sobre paranormalidade não é das melhores... Diante de uma religião fundada por um Deus-Homem ressuscitado, achar intrigantes telepatia ou fantasmas chatos é como escrever uma pesquisa acadêmica sobre gringos que fazem tour em favelas. (Até admito que simpatizo com um fantasma que assombra um colégio. Se eu fosse fantasma, iria aloprar também.) Pior é neguinho que fica terrificado até com histórias de objetos balançando e tal.

Às vezes, é charminho. Vou até contar uma história. A long time ago, umas amigas e eu resolvemos fazer aquela brincadeira do compasso. (Agora que me dei conta de que nunca tinha confessado isso ao padre. Quando a gente pensa demais na vida, acaba sufocado numa shitstorm. Pois é.) Conosco, três garotos. Um estava ali porque era bonito. O segundo eu nem lembro quem era. O terceiro, cuja mãe era macumbeira (nem sei se era mesmo, porém ficou isso na minha cabeça), se chamava Volodia. Era na casa dele que estávamos. Um roteiro completo. Garotas pancadas da cabeça. Cara bonito. Alguém chamado Volodia, filho de uma bruxa (ou sei lá o quê). Um desconhecido misterioso (do tipo que não fede nem cheira). E um recinto amaldiçoado. Começamos. Não sei porquê, mas teve uma hora que alguém se assustou. Todo mundo se levantou. Uma das minhas amigas falou que ia desmaiar. Adivinha para onde ela caiu? Para cima do cara bonito, lógico. Ela mergulhou para cima dele. Acontece que ele desviou! Como ela estava crente que seria pega, caiu feito uma poia. Ficou no chão, gemendo. O fdp morria de rir... Bem-feito.

Gente incrédula costuma se bestificar diante de fenômenos paranormais. A propósito, Olavo de Carvalho em O imbecil coletivo: "Os místicos islâmicos diriam que aquele que recusa curva-se ante o mistério supremo de Allah acaba se prosternando ante miúdos djins (forças sutis da natureza terrestre)." Mais adiante:

O hábito de rotular de "espiritual" tudo o que esteja para além do material e do sensível, mesmo meras forças materiais sutis que não escapam totalmente à esfera de interesse da física, reflete a propensão de enaltecer galinhas pretas. Fenômenos como aqueles provocados pelo paranormal Thomas Green Morton - objeto do livro [do Muniz Sodré, Jogos extremos do espírito] - manifestam apenas aquilo que a Índia denomina siddhis, "poderes", e os siddhis não merecem mais atenção da parte dos homens espirituais do que a fabricação de botões dourados para as fardas é objeto de atenção militar.


Deve ser mais ou menos por isso que ETs e outras coisas caíram na moda também. Primeiro, você deixa de crer em Deus. Beleza. Daí é um pulo para gastar 50 anos tentando ouvir ETs de Alfa Centauro ou sair em busca de crânios de cristal místicos!

Só sei de uma coisa. É mais provável existir o Alf do que a Dinamarca vencer a Copa. Ô timinho chumbrega! Mas sempre que penso em países como a Dinamarca, algo me chama a atenção. As mudanças radicais dos costumes dos povos. Outro dia, os "povos do norte" (dinamarqueses, suecos, noruegueses) eram brutais. Vou dar um exemplo a partir do livro A sociedade feudal: "Diz-nos uma saga que um Islandês, que tinha feito campanhas no Ocidente, tinha a alcunha de 'homem das crianças' porque se recusava a empalá-las na ponta das lanças 'como era hábito entre os seus companheiros.'" Hoje em dia, a maior barbaridade da Islândia é a Björk. Os antigos suecos viraram social-democratas. Dá para comparar o rei Frederico IX, a rainha Margarida II e o príncipe Frederico com Harald Dente-Azul, Sven Barba-Bifurcada e Canuto? Ok, "outro dia" faz mais de mil anos. Mesmo assim, não é engraçado? A capacidade de transformação do homem é imensa.

Será mesmo? Algumas coisas não mudam. É um chavão. Mas quem disse que todo chavão é lorota? Olha, domingo passado rolou a maior quizumba em Durban. A polícia sentou o cacete nos seguranças de um estádio. Motivo? Tudo começou com um protesto dos seguranças. Eles disseram que os organizadores não pagaram o combinado. A polícia apareceu. No final, a baixaria que você já pode imaginar. Não sei se deram mesmo um calote no pessoal. O que sei é que não teria havido problema nenhum se o organizador fosse... Septímio Severo. O próprio. Dizem que antes de morrer, ele falou aos filhos: "Permanecei unidos, pagai aos soldados e desprezai todo o resto." Se os organizadores tivessem seguido o conselho do Septímio Severo, a porrada não teria comido solta. Também ignoraram um conselho do Maquiavel. Se tivessem lido O princípe, saberiam o seguinte:

Digo, pois, que as armas com as quais um príncipe defende o seu Estado, ou são suas próprias ou são mercenárias, ou auxiliares ou mistas. As mercenárias e as auxiliares são inúteis e perigosas e, se alguém tem o seu Estado apoiado nas tropas mercenárias, jamais estará firme e seguro, porque elas são desunidas, ambiciosas, indisciplinadas, infiéis; galhardas entre os amigos, vis entre os inimigos; não têm temor a Deus e não têm fé nos homens, e tanto se adia a ruína, quanto se transfere o assalto; na paz se é espoliado por elas, na guerra, pelos inimigos. A razão disto é que elas não têm outro amor nem outra razão que as mantenha em campo, a não ser um pouco de soldo, o qual não é suficiente para fazer com que queiram morrer por ti.

Ao longo do capítulo, há um montão de exemplos históricos. Nas novas edições, o exemplo da Copa do Mundo de 2010 poderia entrar. Se bem que o Maquiavel não está com a bola toda. Pelo menos em matéria de futebol. Não faltam estrangeiros que defendem muito bem os times em que jogam. Não há equipes cujo o time titular é composto só por estrangeiro, e mesmo assim ganham tudo? Então pronto.

5 comments:

R. B. Canônico said...

Tanja, e o Brasil hein? Nossa saída de bola depende do Maicon, pois Felipe Melo e Gilberto Silva não tem nem visão de jogo, nem qualidade no passe. Michel Bastos não é lateral e marca muito mal - este é o ponto fraco da defesa.

Com Kaká longe do ideal, o time está com sérios problemas. Está difícil torcer, e esse ano nem me animo muito pela Azzurra (muita gente da minha família por lá).

Enfim, dureza.

Anonymous said...

Você possui alguns preconceitos e informações equivocadas sobre o Espiritismo Kardeccista e a Parapsicologia. Convém informar-se melhor. Sobre a Copa do Mundo está ótima!

Tanja Krämer said...

É muito chato ver jogo do Brasil. Mais chato ainda é o Kaká. Por sinal, esses jogadores são enjoadinhos...

Anônimo (é a última vez que deixo anônimos comentarem; pô, custa botar o nome?), quem tem informações equivocadas e preconceituosas é o próprio Espiritismo. Por exemplo, leia o primeiro (vv. 1-17) e o quinto (vv. 16-47) capítulos do Evangelho segundo São João. Leia também a História de uma pseudo-religião do René Guénon. Agora, parapsicologia só impressiona materialistas turrões. Se você está acostumado a participar do sacrifício da missa, como é que vai sentir temor religioso por causa de objetos voando e tal? Sem contar outra coisa. Por que achar que todos os fenômenos desse tipo são de ordem espiritual? Só no caso de rebaixar muito o sentido do que é espiritual!

Βδελυκλέων said...

Ei Tanja,
Você chegou a rever o sósia do Hindenburg ou ele sumiu da seleção holandesa?

Tanja said...

Sumiu! Já fui até ao site da federação holandesa para ver se encontrava o sósia. Estou pensando em enviar um e-mail para eles a respeito. :-P