Tuesday, April 28, 2009

Ateus militantes

Sempre que aparece alguém falando horrores da Igreja, nunca deixa de ser manifestação autêntica de fogo no rabo. Isso ocorre em especial com ateus militantes ou qualquer tipo de inimigo da Igreja. São tão claros nas intenções retardadas que chegam a ser canalhas translúcidos (by Nelson Rodrigues).


Ateu militante usando seu principal meio de argumentação contra a Igreja.

Estou convencida de que boa parte da mongolice dos ateus militantes&cia ltda vem da falta de sacramentos (e de vergonha na cara). Comungar faz bem. Se confessar com freqüência também. Não se confessar nem comungar obscurece a alma. Eu até costumo comparar Jesus com um gari (e que gari!) e o pecado com o lixo. Se você se confessa e comunga com freqüência, é como se alguém tirasse o lixo da sua frente, com sua ajuda. Se você não faz nada disso, o lixo só se amontoa. Daqui a pouco você está todo fedido sem perceber. É que já se acostumou a morar num chiqueiro.

Até acho que ateus militantes&cia ltda são mendigões intelectuais. São do tipo que adoram falar um monte de maluquice, recolher entulho e encher a cabeça de cocô.

Como nós católicos somos muito legais, o negócio é não se emputecer. Claro que é um saco ter gente fedorenta por perto. Mas é bom ajudar. Da mesma forma que por caridade é bom dar uma esmola a um mendigão, às vezes vale a pena explicar algo a um mendigão intelectual, quer dizer, um ateu militante. Se o cascão deles for duro demais para limpar, aí o negócio é rezar muito mesmo.


Ateu militante cheio de cascão sendo benzido de acordo.

Wednesday, April 22, 2009

De Biasi - Conselheiro amoroso

Vi pelo Sal Terrae um trechinho de um post do S. de Biasi. Como (acho que) todo mundo sabe, ele publica os textos no Indivíduo do B.

Quero citar a mesma coisa também. Sou macaca de imitação:

Querer ser o outro, por outro lado, nos distancia de nossas reais potencialidades e nos coloca perseguindo fantasmas, e buscando frustradamente, esquizofrenicmante (sic), mesquinhamente, futilmente, algo que só só o outro pode ser. Muito melhor é fazer as pazes com quem você é e tentar exercer essa inalienável função da melhor e mais plena forma que você conseguir.


Que tal você ser o outro, por outro lado? Já tentou ser o outro, por seu próprio lado? E se a relação for tão perfeita que seja como um círculo? Qual lado você escolheria, se não houver lado para escolher? Ou será o de dentro ou de fora? É tanto "outro" e "lado" que nem sei mas quem sou, nem onde estou. Ai, que gandaia.

Mas essas coisas que ele escreveu, "por outro lado", são boas. Boas para arrumar namorado. Leia só esse trechinho sobre aceitar a si própria, que garimpei num site de namorico:

Quem não gosta de si própria, dificilmente consegue despertar o amor dos outros. Por isso primeiramente apaixone-se por si mesma. Só quem gosta de si, está pronta para encontrar o amor. Afaste os pensamentos negativos: estar sozinha agora, não significa que também esteja amanhã. Em vez disso, seja positiva. Vai ver que não faltam pretendentes.

O S. de Biasi seria um bom conselheiro amoroso. Seria até bem moderno, porque ele é bastante liberal.

Tudo é uma questão de dar as mãos para si mesmo. Vista uma roupa branca. Saia pulando num campo cheio de margaridas. Tome 5l de sorvete em 5 horas. Não se depile. Curta a fossa. Ame a gorda mal depilada que você é. No fundo, somos lindas pessoas. Somos doidas para chorar ouvindo uma balada do Aerosmith. Falta só alguém para nos amar como amamos a nós mesmas...

Na época dos romanos, imitar ainda estava in. Que o diga Plutarco. Coisa frustrante, esquizofrênica, mesquinha, fútil, esse negócio de vida paralela. Pior que os imperadores eram tão imitões que cismavam em se chamar "César"! Tipo José Jatobá da Silva César. É só você ler o Suetônio, Tácito ou a Wikipedia para ver como eles eram desprovidos de personalidade. Nada mais igual a Júlio César que Tibério César, Marco Aurélio César, Septímio Severo César, Heliogábalo César e Constantino César. Deve ser por isso que tinha tanto imperador da pá virada. Deve ser por isso também o Império só durou 400 anos, ou 1400, pouquinho, se contar o Oriente.

E esse negócio de profissão? Você querer soldador, psicólogo, médico ou vendedor de charutos é querer assumir uma função social criada por fulano. Mas o fulano que a criou fez por algum tipo de necessidade pessoal; os outros vieram na rabeira. Querer ser médico é querer ser um Asclepíade. Porém é na verdade adotar como função social o que um Asclepíade tinha como necessidade pessoal. E isso é bem mais fácil. Você já recebe a medicina mais ou menos mastigada. É como vestir uma roupa que se ajuda mais ou menos em você.

Mas o texto do S. de Biasi é só um ultraje a rigor por outros meios.

Wednesday, April 08, 2009

Quase um Goethe

Disse Lucas Mafaldo:

É verdade que há muito a ser dito contra a universidade; tanto contra o sistema universitário contemporâneo, como mais ainda contra sua versão brasileira. No entanto, apesar de todos seus defeitos - a burocracia, os militantes profissionais, o baixo nível dos alunos - ela é ainda é o lugar por excelência onde ocorrem as discussões intelectuais e onde está a maior concentração de pessoas com esses interesses. Decidir ficar fora da universidade, por princípio, é decidir ficar fora do centro das discussões - o que significa tanto perder a universidade de aprender com o que há de bom lá dentro, como a oportunidade de realmente influenciar o debate.


Olha o espírito do Goethe baixando por aí!

Tuesday, April 07, 2009

Brasil homofóbico

Todo mundo sabe que a sociedade brasileira é machista, homofóbica e tal. Qualquer coisa que lembre "diversidade sexual" é atacada. Culpa da formação latina.

O vídeo a seguir demonstra que o movimento gay tem razão mesmo. Vejam como um artista que nos brinda com uma estética progressista é oprimido pelo público reacionário. Sempre que você escutar um gay reclamando (com toda a razão) de como é duro viver no Brasil, não se esqueça desse vídeo.



Só para encerrar. Nada como um tributo à Vovó Mafalda. Foi o travesti mais perseguido do Brasil. Ela representou como os gays são feitos de palhaços no Brasil. Genial.

Sunday, April 05, 2009

Para um domingo de Ramo




Depois desse vídeo, agora La Dauphine. Mais uma do Rameau. Pena que não dá para ver o cara tocando. É muito legal.








Saturday, April 04, 2009

Citação de Goethe

A vida universitária, mesmo quando não nos podemos gabar de uma aplicação séria, oferece imensas vantagens em todo o gênero de cultura pelo fato de estarmos constantemente cercados de homens que possuem ou que buscam a ciência, de modo que numa tal atmosfera absorvemos sempre, mesmo sem saber, algum alimento.


Ouviu, né? Então o negócio é ficar na universidade e pronto.