Thursday, December 24, 2009

Feliz Natal

Vamos deixar (ao menos por enquanto) as bobagens de lado. Há coisas mais importantes.

Acho que eu nunca publiquei nada sobre o Natal. Não que o mundo tenha piorado por isso. Vou então ensaiar uma coisinha. Me perdoe a falta de jeito.

Quando comemoramos o Natal, às vezes nos esquecemos de uma coisinha. É uma festa religiosa! Não é encher a pança (e depois se lamentar pela gordura adquirida). Não é ficar feliz ao ganhar um presente legal. Nem se aborrecer na fila da loja, para comprar uma lembrancinha (de quê? de quê?). Não é se divertir com parentes (ou aturá-los). Muito menos dançar com o namorado! Como é o Natal? É uma festa religiosa no sentido de ser uma conversa com Deus. Conversa que se desdobra em conversão. É a hora de o coração duro ceder ao amor. É difícil abandonar os problemas, as dores de cabeça? É, pode ser. Agora, não podemos esquecer quem está conosco. Deus ordena, Jesus age, o Espírito conduz. Se os termos que usei foram felizes, não sei. O que importa é que a conversa com Deus é caminho para o convívio íntimo com o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Esse amor íntimo é um alento. O alimento que nos salva.

O Natal é conversão, é mudança. É também memorial. Mas é também ação real de Cristo, o pão da vida. Pela mais pura graça, ele se entrega a nós.

O Natal é momento de alegria. É alegria por sermos convidados ao banquete do Senhor, mesmo não merecendo. "Felizes os convidados para a ceia do Senhor."

O Natal é comunhão com Deus. A Criancinha-Deus é o pão do céu.

O Natal é a nossa salvação, quando as trevas se dobraram ao Menino-Deus (nosso pão do céu).



Poulenc: Christus natus est.

O Natal só faz sentido se estivermos em comunhão com Deus. Ok, não somos santinhos. Sou a primeira a dizer isso! Mas... O Menino Jesus vai nascer, ora! Então nossas reclamações são mais coisa de gente velha, enjoadinha. Vamos nos dirigir alegres à missa, para ter conosco Jesus Cristo. Em meio à noite, cantemos Christus regnat, Christus vincit, Christus imperat. As trevas se dobrarão, e o Reino de Deus estará no meio de nós.

Somos uns privilegiados, enquanto membros da Igreja. Nossa procissão neste mundo sempre será triunfal.





Graças ao Nosso Senhor Jesus Cristo, podemos hoje receber um tão sublime sacramento. Hoje e sempre, e em todo lugar. Nós pecadores somos privilegiados com tão magno mistério.



Tantum ergo Sacramentum.

Eu gostaria de escrever mais, e bonito. Não tenho tempo, nem lá muita capacidade! Mas fica aí meu textinho de Natal. Não olheis para a minha tosquice, mas para minha boa vontade.

Feliz Natal a todos!

16 comments:

Tanja Krämer said...

No segundo vídeo da procissão, tem uma hora em que neguinho perde a linha e solta uns gritinhos muito engraçados. :-)

R. B. Canônico said...

Tanja, um Feliz e abençoado Natal a vc e a todos s seus. Que essa festa tão bela seja um renascimento espiritual para vc(s)!

R. B. Canônico said...

Ah,a minha música natalina favorita é o "Adeste Fideles"! Faltou ela aí nos vídeos, mas a seleção está excelente!

trombone com vara said...

Feliz Natal.
Sou um ex-ateu ( sim, isso existe ) que tem como missão auto-imposta a descoberta de Deus. Natal é para mim o voltar-se a origem, tentar entender o Pai, o porque do Nascimento.

Βδελυκλέων said...

Que lindo é esse "Hodie christus natus est" do Poulenc.

PS: Feliz natal

Luís Guilherme Fernandes Pereira said...

Feliz Natal, Tanja!

Jorge Fernandes Isah said...

Tanja,

Cristo a abençoe e aos seus leitores.

Feliz Natal!

Luís said...

É estranho ver um texto tão bonito de Natal depois de um tão carregado de ódio. Mas que seja: é bonito. Feliz Natal para você também.

Fernanda said...

Tanja, um feliz natal pra você, e que a fé e confiança em Cristo se renove mais uma vez em sua vida, e na dos seus!

Ah, e com tantos vídeos bons aí, não poderia deixar de recomendar mais um: http://www.youtube.com/watch?v=_iDD7wqtwmM&feature=PlayList&p=6F2A53BF3BD34074&index=5

É do A Ceremony of Carols, do Britten. Não sei se você conhece, mas eu recomendo muito. Veja o Hodie Christus Natus est também, vale a pena :^) Abraços!

Fernanda said...

(e Deus, esse timbre das vozes do canto córsico me dá arrepios. Por essas e por outras eu adoro esse cd.)

Βδελυκλέων said...

Ah sim, o timbre dessas vozes eu acho que é mais algo do Marcel Perès e do Ensemble Organum.

Veja o maravilhoso Gloria da Messe de Nostre Dame:
http://www.youtube.com/watch?v=4U7mPwGx7Ls

(aliás, o Gloria ficou calado o advento todo, é uma boa peça para voltar a tocar)

No caso do Machaut, a razão é que nas gravuras que temos da época de cantores, a posição das bocas é muito semelhante à maneira de cantar da música oriental (árabe e grega) e que portanto essa música seria cantada com esse timbre diferente. Que eu saiba só o Ensemble Organum tomou essa posição "historicista", mas muito me agrada o resultado.

Talvez o canto corso seja a mesma coisa, não tenho nenhuma informação sobre ele, mas a maior diferença entre isso e o Machaut é a reverberação do lugar de gravação das duas peças...

Tanja Krämer said...

Ai, Canônico... Também gosto da Adeste, fidelis. O negócio é que o povo abusa, né? Cantam até quase gastar a música. :-)

Trombone, mas é claro que existe ex-ateu. Por sinal, você está falando com uma ex-atéia!

Luís, você já viu uma pessoa cheia de ódio chamar alguém de Ranger Verde?

Fernanda, obrigada pela indicação! Por sinal, conheci esse CD do Ensemble Organum graças a você! :-)

Bdelycleon, ótima indicação o Glória do Machaut! Engraçado é que sempre me chamou a atenção o timbre das gravações do Marcel Pérès. Acho que a primeira vez que notei isso foi na Missa de Tournai. Para usar a expressão da Fernanda, me dá arrepios. :-)

Jorge, Luis Guilherme e todos, Feliz Natal!

Βδελυκλέων said...

Acho que com poucas exceções todos nós somos ex-ateus, ou pelo menos ex -pagãos. Basta ver a vida de S.Francisco de Assis, Santo Agostinho entre tantos outros.

Cora said...

Tanja,

é o melhor post de Natal que eu li este ano... uma reflexão linda e muito oportuna sobre o sentido da festa religiosa...Uma oração.

Isso! uma oração reflexiva.

E foi assim, com o verdadeiro sentido do Natal que eu passei junto aos meus.

Gracías.

Mr. Almost said...

Eu discordo da Cora.

O melhor post de Natal foi o meu que tem a melodia natalícia mais linda que existe:

http://www.youtube.com/watch?v=Tz_eUYXayMQ&feature=player_embedded

O seu ficou, ok, ok, em segundo... rsss...

Tanja Krämer said...

Que bom que gostou, Cora. Muito obrigada!