Thursday, November 05, 2009

Duo seraphim

Youtube. Que beleza.



Duo Seraphim clamabant alter ad alterum:
Sanctus, sanctus, sanctus Dominus Deus Sabaoth;
plena est omnis terra gloria ejus.

Tres sunt, qui testimonium dant in coelo:
Pater, Verbum et Spiritus Sanctus;
et hic tres unum sunt.

Sanctus, sanctus, sanctus Dominus Deus Sabaoth;
plena est omnis terra gloria ejus.

8 comments:

Vera Y. Silva said...

A beleza de muita música religiosa não prova que deus existe, mas ajuda a perceber porque é tantas pessoas precisam desse tipo de ilusões para viver.
Excelente blog!

Tanja said...

Oi, Vera, obrigada! Mas o que você chama de ilusões?

Vera Y. Silva said...

Tanja:

A religião está cheia de ilusões, de ideias manifestamente falsas e irracionais. Se o grau de crendice requerido para acreditar que a mãe de Jesus era virgem fosse posto em prática por um médico ou por um professor qualquer pessoa concordaria que se devia fugir do consultório ou da sala de aula. Tratando-se de religião qualquer treta é aceitável, pois é uma questão de fé.
Enfim...

Tanja said...

Oi, Vera!

Embora você tenha sido breve, os erros implícitos (e explícitos) na sua mensagem são tantos, tantos, tantos, que eu precisaria de mil linhas para cada linha sua para explicá-los e corrigi-los! Não tenho tempo. Vou só indicá-los:

1) Há uma confusão de gêneros enorme aí. Você aplica critério de um gênero para julgar outro. Isso é erro básico. A matemática não serve para julgar piadas, a não ser de modo impróprio;

2) Não há o menor motivo de se acreditar que apenas os juízos racionais evidentes são verdadeiros. Mas veja que estou usando um termo técnico. Não vá pensar que estou pregando irracionalismos;

3) Agora, absurda e gratuita é a hipótese de que só existe aquilo que se dá em minha mente de modo claro e distinto;

4) Mais absurdo ainda é pressupor que você é um ser pensante absoluto que abarca todas as coisas de modo claro e distinto. E que tudo só existe em função do seu Eu absoluto;

5) Antes de atacar (à toa, é claro) a religião, seria preciso demonstrar por que os quatro pontos acima estariam corretos;

6) No fundo, é preconceito pessoal, fundamentado numa base filosófica MUITO bocó. O estranho é que quem parte desses princípios se considera esclarecido.

Vera Y. Silva said...

Não Tanja.

O estranho é que precise considerar-me ignorante para discordar de mim.

Não lhe faria mal ler algumas linhas acerca da falácia do apelo à ignorância. Se ler ler também umas coisinhas acerca de Filosofia da Religião descobrirá que é possível afirmar o que eu afirmei num debate entre crentes e não crentes sem descer o nível da conversa como a Tanja fez.

cumprimentos

Anonymous said...

A internet é algo frustrante mesmo. Num post com uma passagem linda das Vésperas, a pessoa vem falar de ilusões da religião, tipo Voltaire com 3 séculos de atraso. É como o Girard fala: ateus estão sempre mudando de assunto...
F.R.

Bruno said...
This comment has been removed by the author.
Βδελυκλέων said...

A música de Monteverdi realmente não é uma prova racional da existência de Deus. Mas o comentário sobre "ilusoes" depois de uma referência a uma obra prima da música para mim só pode ser uma prova ontológica da existência da burrice.

E nem adianta falar em Filosofia da Religião para parecer bonito, porque só piora acoisa.