Monday, June 29, 2009

Quenguice

Uma garota chamou o namorado de "amor." Eu estava perto. O jeito que ela disse? A voz? A entonação? O ritmo? Nem precisei ver. Com certeza era quenga. Naquele jeito carinhoso (?) de falar, dava para imaginar a quantidade de homem bocó que já ficou com aquela garota bocó. Charme é agora sonsice grosseira. Quenguice.

7 comments:

R. B. Canônico said...

Tanja, o grande erro dessa mulher foi ter dito isso perto de vc hehehe. Já reparei que vc não perdoa uma!

Tenha uma ótima semana!

Nicolau said...

Tem toda razão, Canônico.

Da próxima vez que eu chamar minha esposa de "amor" vou olhar pros lados só para ter certeza de que não há ninguém com cara de bisneta de suíços por perto.

Tanja said...

Estão ferrados. O que menos tenho é cara de suíça. :-)

Lembrei de um post do Coisas de Idiota. Dizia mais ou menos assim: "E os antepassados europeus de fulano, que vieram lá da Europa, atravessaram todo o Oceano Atlântico para abrir uma padaria numa esquina do Brasil."

Tanja said...

A última vez que ouvi alguém falando de um jeito tão quenga foi na ária V'adoro, pupille. Vou até botar num post. Claro que a garota que ouvi era uma versão piorada. Mas a essência é a mesma.

Nicolau said...

Tava demorando !!! Tinha que ter uma referência operística. Eu sabia !!

R. B. Canônico said...

Caramba, Tanja, e eu que pensei que fosse uma loira de olhos azuis e pele branquíssima perdida no Rio. Daquelas que não pegam bronzeado, mas sim um 'vermelhado', quando muito. Que decepção a minha! Hahahaha!

Tenha um ótimo fim de semana!

Anonymous said...

Nossa, esse ódio todo no coração é só dor-de-cotovelo? Mesmo? Calma, "gata". Todas nós já passamos por esse momento de "bitterness". Um dia você terá alguém para chamar de "ain, amoooor", ou algo assim. Relaxa, "your time is gonna come". Pronto, passou...