Tuesday, April 28, 2009

Ateus militantes

Sempre que aparece alguém falando horrores da Igreja, nunca deixa de ser manifestação autêntica de fogo no rabo. Isso ocorre em especial com ateus militantes ou qualquer tipo de inimigo da Igreja. São tão claros nas intenções retardadas que chegam a ser canalhas translúcidos (by Nelson Rodrigues).


Ateu militante usando seu principal meio de argumentação contra a Igreja.

Estou convencida de que boa parte da mongolice dos ateus militantes&cia ltda vem da falta de sacramentos (e de vergonha na cara). Comungar faz bem. Se confessar com freqüência também. Não se confessar nem comungar obscurece a alma. Eu até costumo comparar Jesus com um gari (e que gari!) e o pecado com o lixo. Se você se confessa e comunga com freqüência, é como se alguém tirasse o lixo da sua frente, com sua ajuda. Se você não faz nada disso, o lixo só se amontoa. Daqui a pouco você está todo fedido sem perceber. É que já se acostumou a morar num chiqueiro.

Até acho que ateus militantes&cia ltda são mendigões intelectuais. São do tipo que adoram falar um monte de maluquice, recolher entulho e encher a cabeça de cocô.

Como nós católicos somos muito legais, o negócio é não se emputecer. Claro que é um saco ter gente fedorenta por perto. Mas é bom ajudar. Da mesma forma que por caridade é bom dar uma esmola a um mendigão, às vezes vale a pena explicar algo a um mendigão intelectual, quer dizer, um ateu militante. Se o cascão deles for duro demais para limpar, aí o negócio é rezar muito mesmo.


Ateu militante cheio de cascão sendo benzido de acordo.

25 comments:

R. B. Canônico said...

Tanja, este post foi realmente hilário! Estou dando gargalhadas sozinho aqui! Hehehehe.

Mas é aquela velha história... rir para não chorar.

Ser ateu, até que vá lá. Precisa de uma fé grande demais para o meu gosto. Eu acredito em um milagre e - poft! - lá vem a vida. É a tal da Criação. Um ateu precisa acreditar em vários 'milagres' sucessivos para 'explicar' a gênese das espécies (by André Frossard) e eu não tenho tanta fé assim né. Mas tudo bem, o cara tem o direito de ser isso.

Agora, o ateu militante não passa de um cara na pré-adolescência intelectual. Nada mais tosco do que isso. O pior são caras já passados, do tipo Dawkins, virem com esse tipo de, hum, 'argumento'.

Aí lembro-me daquela frase ridicula dos onibus ingleses: "Deus provavelmente não existe...". Ah... provavelmente? Vale a pena ler a homilia do Frei Cantalamessa na Sexta Feira Santa desse ano: ele bate forte no ateísmo - e, deixando a modéstia de lado, tive oportunidade de escutá-lo ao vivo.

Além dessa maravilhosa benção, o ateu militante precisa de algo para se distrair, algo como um doce, ou então um gibi.

R. B. Canônico said...

Um adendo importante: sei de caso de um cara que diz ter perdido a fé. Na verdade, era uma crise de frescurite aguda. Por sorte ele era amigo de um sacerdote que o convenceu a confessar-se. Aí ele 'recuperou' a fé.

Realmente, a tibieza pode acabar com qualquer um!

HenriqueSantos said...

Excelente post.

Alías, obrigado por estes 2 blogs (A Espectadora e Conversas Bizantinas), há muito tempo está entre os meus favoritos.

Deus te abençoe.

Tanja Krämer said...

Pois, é Rodolfo. Ateísmo militante é a maior bobagem. Hoje em dia eu acho até que boa parte dos problemas vêm da "seriedade da bananice". É o fenômeno de levar a sério bobagens próprias. Nos piores casos, projeção das próprias cretinices no mundo. Ateu militante é um saco. Só falta gostar do Obama. :-)

Henrique, obrigada! Quer dizer que um dos três acessos diários ao meu outro blog é seu? :-) Deus te abençoe também.

Tanja Krämer said...

Falando em doce para ateus militantes, tenho uma sugestão de utilidade pública: Candy making for dummies. Ateus ou religiosos, aproveitem. :-)

cidadessubmersas said...

Excelente post. Que sejam ateus mas que fiquem quietos nas suas casas, ensinando materialismo dialético em silêncio, e poupem nossos ouvidos. Tudo bem, às vezes podem falar em público.

Felipe said...

Feio esse post. Feio e preconceituoso. Nunca vi em qual crônica o Nelson Rodrigues escreve o que você citou, mas ainda assim me adianto dizendo que se o trecho não estiver fora de contexto continua bem feio.

Como alguns dizem nos comentários, parece que ser ateu é legítimo, contanto que não se fale do assunto em público. Lembra muito a maneira como tratavam (e ainda tratam) os homossexuais.

Católicos como você são realmente muito legais em não se "emputecer", mas acho que seriam ainda melhores se realmente praticassem o que pregam.

Mendigões intelectuais? Gente fedorenta?

Sugiro que você tente se informar (um livro ou uma revista falando do assunto pode ajudar). Enquanto isso, segue uma listinha pra te ajudar a ser menos preconceituosa:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Anexo:Lista_de_ateus

Tanja said...

Cara, você primeiro diz que o post é "feio e preconceituoso" (se achasse bonito ver a foto de uma bunda de um primata, seria estranho mesmo). A primeira coisa que pensei ao ler isso foi: "Conta pra sua mãe, Quico". Depois você resolve tirar onda passando uma lista de ateus. Lá tem Malu Mader, Pol Pot, B. Croce, Claudia Raia e Sócrates, dentre outros. Beleza, hein? Olha, você só está confirmando o que eu tinha dito sobre os ateus militantes. (Que revista você me recomenda? Para me passar uma lista em que aparecem Cláudia Raia, Edson Celulari e Camila Pitanga, só pode ser Contigo ou Tititi. Se for livro, só falta ser a biografia do Sílvio Santos.)

Agora, antes de sair chorando por aqui, presta mais atenção no que eu escrevi. Eu disse "ATEUS MILITANTES". Pelo menos quatro vezes. Parece que bebe, eu hein.

O Pior Homem do Mundo said...

Olá, Tanja.

Olhe só o que encontrei para você:

"Vamos conhecer a origem da palavra carioca. Saberemos por que quem nasce na cidade do Rio de Janeiro é chamado de carioca.
A palavra vem do tupi kari’oka que veio da junção de kara’iwa (caraíba ou homem branco) e oka (casa). A significação da palavra, portanto, era a de “casa de branco”, construção feita de pedra e cal que os índios até então não conheciam. As primeiras casas que foram chamadas de carioca foram construídas na praia do Flamengo em 1503 ao lado da foz de um rio de água límpidas, chamado Tijuca.
Na época, era uma das únicas fontes de água doce da cidade, pela qual lutaram portugueses, franceses e índios. Um tempo depois, o rio ficou conhecido como Carioca. As águas do rio tiveram um papel muito importante para o progresso da cidade. Devido a essa importância, com o tempo, o nome passou a ser dado aos nascidos na cidade. No início do século 19, o termo tinha um sentido ruim e disputava com “fluminense” o adjetivo que denominaria os moradores do Rio de Janeiro. Carioca acabou se popularizando e hoje diferenciamos o habitantes da cidade do Rio de Janeiro, os cariocas, dos habitantes do estado do Rio de Janeiro, chamados fluminenses."
Fonte: Origem curiosa das palavras – Márcio Bueno

Você tem razão, e eu não muito bem informado. Congratulations!

Bye.

Felipe said...

Um cristão pode ser militante, enquanto um ateu militante é um "Mendigão intelectual"? Se não foi isso que você quis dizer, você precisa de umas aulinhas de redação.

Eu não estou chorando sobre nada, é vc quem está chiando sobre algo sem demonstrar o menor conhecimento ou interesse. Achei o post preconceituoso e desinformado, por isso comentei (por razões óbvias, odeio comentar em blogs).

Se você está realmente interessada em conhecer o assunto, fuja dos extremos, e da maioria dos resumos mal feitos sobre os livros do Richard Dawnkins.

Sugiro autores como Steven Pinker, Dan Dennett, Nassim Taleb e revistas como a skeptic.com

No ótimo site do TED.com existem palestras muito interessantes sobre este e muitos outros assuntos:

http://www.ted.com/index.php/talks/dan_dennett_s_response_to_rick_warren.html


http://www.ted.com/index.php/talks/steven_pinker_chalks_it_up_to_the_blank_slate.html

Eduardo Araújo said...

Belíssimo este post. Belíssimo e corretíssimo!

A crônica de Nelson Rodrigues, da qual a Tanja tomou emprestada a expressão "canalha translúcido" é de 22 de abril de 1968 e encontra-se na coletânea O Óbvio Ululante (que recomendo, assim como O Reacionário). Nelson referia-se a Sartre, exprimindo, assim, o seu desapreço pelo pensador francês, mas o uso da expressão citada aplica-se ao caso aqui tratado, o dos ateus militantes.

Igualar o proselitismo das religiões com o ateismo militante é dose, hein? Para começo de conversa, a pregação cristã não se vale de atacar o ateísmo e muito menos invade espaços de ateus para esculhambar as idéias destes ou xingá-los de fanáticos, fundamentalistas, obscurantistas, "medievais" (no velho preconceito imbecil da 'idade das trevas'), inimigos da ciência, atrasados, irracionais, etc.

Amiúde o que se nota é os crentes ficando na defensiva ante um bando de arrogantes, pretensos sábios, autopresumidos doutos e grosseiros, numa volumosa estupidez verbal.

Mas vejam o que acontece quando somos nós a opinar sobre o ateísmo e o comportamento desses ateus militantes. Nossa, o mundo parece que vai acabar. É quase certo aparecer um ateu indignadíssimo, todo vítima, coitadinho, do preconceito e da desinformação.

O bom é o sujeito pensar que somos contra a manifestação pública de ateus. Onde é que está escrito isso no texto da Tanja ou nos comentários favoráveis? Ninguém aqui insinuou uma censura, um cala-boca para os ateus, como, aliás, eles gostariam de fazer em relação aos crentes.

O que a Tanja faz no seu texto é opinar sobre essas manifestações e aí vem um ateu xingá-la de preconceituosa, de desinformada. Aliás, como ele sabe que a Tanja é desinformada? E se a nossa blogueira já tiver lido textos de ateus, militantes ou não, de agnósticos, resenhas, mal feitas ou não, de obras ateístas, etc.? A sua opinião pode ter amparo numa boa soma de leituras e reflexões. Neste caso, xingá-la "a priori" de preconceituosa é, paradoxalmente, ser ... Preconceituoso.

Não, em absoluto. Que os ateus militantes expressem livremente a sua baboseira antirreligiosa, quase sempre puro ódio, boa parte também devido a desinformação e bastante preconceito. Mas não achem ruim que também expressemos nossas opiniões sobre eles e seus "arjumentos" (by Tanja Krämer), afinal "falar do assunto em público" implica em ser comentado em público.

Fernando Isidoro said...

Gostei do seu texto e diverti muito lendo, e mais ainda da revolta do Felipe o ateu militante. Dei boas gargalhadas com a raiva e as bobagens dele, para não dizer confusão mental.
Você e o Eduardo responderam a altura, quer dizer, de cima para baixo.
Anexei o seu blog a minha lista de blogs.

Anonymous said...

vou escrever o mínimo e nem vou voltar, falo sério (e podem xingar!)para ler as reações: SE ATEU TEVE FOGO NO RABO, AH ENTÃO TÁ! ACHO QUE ELE TÁ MESMO É COM A RAZÃO! PUTARIA DE INSTITUIÇÃO ESSA QUE PEGA FOGO NO MACACÃO QUE FEZ ASNEIRINHA!?...

não tenho adjectivos para comentar isso que acabo de ler. respeito tanto como sei me vão respeitar a mim e a este comentário.

e olhe lá- NEM APOIO ATEU MILITANTE!!!- nem apoio algum tipo de militância (por isso também não este post)... nem é essa a questão. Pois claro que fica difícil mostrar que existe deus ou deixa de existir. a gente crê ou não, a partir daí o melhor é não julgar muito. e vamos lá separar fé de igreja, pode ser!?

ah MEU DEUS, que eu só ia dizer coisa pouquíssima e acabo falando que nem intelectual mendigão com bunda fedida e chamuscada!! ahahahahahahhaha

bem, no final até que deu pra eu rir!!

geinti!!!!!!

Nicolau said...

Tanja, oi,

Eu perdi seu email. Manda para mim de novo para o nicolauolivieri@gmail.com ??

Manda também o msn, o facebook e o twitter.

Beijos

Kbr4L said...

Enquanto isso os padres vão violando as criancinhas, os pastores queimando dólares, os bispos fazendo filhos e enforcando inocentes, mas os vilões são os ateus e suas posturas perante a sociedade.

Ficar milhares de anos a espreita, esperando para poder falar o que pensa sem ser condenado a forca ou a mais rigorosa tortura, isso torna o então quieto, falastrão.

O que mais me deixa triste é ver que os 2000 anos de injustiças, chacinas, atentados a humanidade e aos direitos humanos... tudo isso de nada adiantou. Ainda temos gente sendo doutrinada por doentes nazistas no seu terceiro dia de vida. Gente sem o mínimo de ceticismo, que só sabe aplicar o que aprendeu em 18 anos assistindo aquele padre pedófilo.

E a culpa é das criancinhas...

Evelyn Mayer de Almeida said...

Eu nunca li tanta besteira em comentários de posts...

Tanja, eu adorei! Rolei de rir e pensei muito sobre!

E o linguajar tá ótimo! Direto ao ponto, Moça!

Tanja said...

Brigada! Agora, os comentários retardados demonstram ainda mais o que eu quis dizer. :-)

Daniel Sanchez said...

Sou Ateu, mas não sei se sou o que você chama de militante. Pelo menos, nunca ataquei qualquer religião ou superstição em um blog.

A igreja católica é cheia de paradoxos. Há uma passagem do velho testamento "Deuteronômio 13" que prega a morte de pessoas que acreditam em um Deus diferente:

13 - Uns homens, filhos de Belial, que saíram do meio de ti, incitaram os moradores da sua cidade, dizendo: Vamos, e sirvamos a outros deuses que não conhecestes;

14 - Então inquirirás e investigarás, e com diligência perguntarás; e eis que, sendo verdade, e certo que se fez tal abominação no meio de ti;

15 - Certamente ferirás, ao fio da espada, os moradores daquela cidade, destruindo a ela e a tudo o que nela houver, até os animais.

Uau! Não sobram nem os animais de estimação?!?.

Mas o que aconteceu com o "Não Matarás?!?"

Como eu disse, muito paradoxal.

Viver sob dogmas paradoxais deve explicar o compartamento igualmente paradoxal como a militar contra os ateus militantes.

Tanja said...

Uau! Estamos sendo iludidos faz 2000 anos. Como somos burrinhos. Obrigada por nos mostrar essa contradição aberrante, Daniel.

Daniel Sanchez said...

Ótimo argumento. Como todo o post, bem fundamentado. Às ordens, Tânia.

Tanja said...

Meu nome é Tanja!

A Igreja adverte: para sanar essas e outras dúvidas, estude catecismo, comungue com freqüência e fale com o padre da sua paróquia. O resto é fogo no rabo.

Daniel Sanchez said...

Outro espetáculo de sapiência eloquente.

Você certa Tânia. Isso é o que a igreja faz de melhor, advertir.

sencly said...

GOSTEI DO TEXTO. PERCEBE-SE QUE OS ATEUS TE INCOMODAM MUITO.
POR ACASO COLOCARAM A SUA FÉ EM DÚVIDA? EU ACHO QUE SIM. POR ISSO SE OFENDE TANTO. ACHO QUE TALVEZ UM DIA VOCÊ LARGUE ESSA CACHAÇA QUE É A RELIGIÃO CATÓLICA. NÃO SOU ATEU MILITANTE MAS TAMBÉM É UM SACO ATURAR CRISTÃO MILITANTE, SÃO PRAGAS!

Unknown said...

1. A Igreja é militante porque está em guerra contra três cruéis inimigos, a Carne, o Mundo e o Diabo.

2. Obrigada por gostar do texto.

3. Mande abraços para sua avó.

carlos andre said...

Crente tem é q comer capim.
Já ñ bastam adorar ao deus assassino de criancinhas e ainda querem enfrentar os ateus?
Os ateus são inteligentes,já vcs um monte de trouxa.
Deus é um merda,mas é fictício seus retardados.