Monday, April 07, 2008

Ah, e lembrando

Um dia citei o Marx defendendo o livre-mercado sob certo aspecto. Lembram? Agora olha só o que encontrei por acaso. Paulo Francis:

(O Globo, 26/05/96) - Intelectuais brasileiros - "O tempo é um fator decisivo para tomar decisões", escreve Sarney, alô, alô, Terezinha. Mas nem todos ficaram nas primeiras letras. Carlos Nelson Coutinho, por exemplo, leu Lukács e escreveu um artigo dizendo preferir Graciliano Ramos a Clarice Lispector. Só um filisteu estabelece a comparação entre os dois escritores. Nelson escreveu outro dia um artigo elogiando as estatais, que entravam nossa economia em causa própria. Teria lido Marx, que diz ser necessário o capitalismo crescer ao máximo, até que estoure? Entendeu que a URSS e satélites eram capitalismo de Estado, retrógrados, econômica, política e socialmente, desabando por incompetência? Duvido. É a favor do Estado tomar conta de tudo, por cacoete anticapitalista, o velho medo do gringo que sabe tudo, o velho complexo de inferioridade brasileiro entre o que é moderno e nossa triste realidade. (Negritos meus.)


Agora pense naquelas antas que reclamam, por exemplo, das (pseudo) privatizações, alegando coisas do tipo "ah, que puxa, estão vendendo o Brasil para o grande capital". Pois é.

2 comments:

Anonymous said...

É uma coisa interessante. Li muito Paulo Francis, e na época me pareceu absurdamente reacionário. Mas relendo Francis, a impressão que dá é que ele sempre continuou de certa forma admirando Marx - desse mal eu não sofro.

A propósito, malhar os marxistas brasileiros com base em Marx é a coisa mais fácil do mundo.

A propósito dois. Carlos Nelson Coutinho, se não me engano, é hoje filiado ao PSOL? O que Francis diria disso?

Abraços

NO

Tanja Krämer said...

É sim. K. Marx grudou no sapato dele.

Ah, o Coutinho... Verdade, agora está no PSOL. Em 97 era do PT. Logo, é burro. :-) Fora que é um marxista troncho (vide o que disse o Francis). Ah, ele é diretor da Editora UFRJ. Tem coisas que só a UFRJ faz por você. =)