Tuesday, December 18, 2007

Pintura romântica

Um amigo meu me mostrou uma garota e começou a refletir: “Não acha que ela parece ter saído do século XIX? Suas roupas não tem nada a ver. Mas pensa comigo: sua camisa de banda de rock... Aposto que o vocalista dessa banda seria seu cavaleiro medieval às avessas. Sua roupa escura é de um romantismo perfeitamente gótico. Não é bem pálida? A luz a deixa ainda mais. É muito magra. Você acha que a musa dos românticos (ou exaltados, como você me disse outra vez) era virginal, mas olhe bem para essa garota. Virginal sempre me pareceu uma idéia de afastamento do mundo. Essa idéia também tem a ver (você pode notar) com magreza, palidez... (Percebe que é uma coisa cultivada? Ninguém perde um pouco da própria vida, sendo nova, à toa.) Mas seus lábios são bem salientes, não acha? Sua expressão é até forte. Tem longos cabelos. Não acha isso esquisito? Ela não tem mais nada de estranho. É gótica por causa de alguma conexão estranha com o passado, mas essa roupa de banda e outras coisas são provas de que ela vive mesmo em nosso tempo. Como tudo isso é curioso!”

Meu amigo sentimental parecia estar vendo um quadro. Ele se empolgou e saiu decompondo o que via ou queria ver. Tentei ver com os olhos dele. Difícil. Por que afastamento do mundo lembra fraqueza? E a Capela Sistina? Do que ele dizia só guardei a forma exterior. Palavras...

2 comments:

César Miranda said...

Feliz Natal,querida.

Tanja K said...

Oi, César! Feliz natal pra você também!