Wednesday, August 22, 2007

Non angli, sed angeli



Vi essa fotinha por aí. Esqueci o endereço. Não podia deixar de colocar porque é um bebê muito lindinho!

And now, uma historinha legal. Foi contada por Beda, o Venerável, em sua História. Ele contou como o papa Gregório Magno conheceu por acaso uns anglos. Foi a partir daí que ele enviou Santo Agostinho da Cantuária e outros missionários para evangelizar a Inglaterra.

Achtung! Tradução MUITO livre. Aceito sugestões!



Não podemos passar em silêncio a história do beato Gregório, legada a nós pela tradição de nossos ancestrais, que demonstra o cuidadoso zelo que ele teve em prol da salvação de nosso povo.

Dizem que um dia alguns mercadores haviam chegado recentemente em Roma e puseram várias mercadorias à venda no fórum. Muitas pessoas confluíram para lá, entre elas o próprio Gregório. Ele notara que, dentre as mercadorias, havia uns meninos postos à venda, cujos corpos eram resplandecentes como a neve, rostos muito encantadores e com cabelos também belíssimos. Assim que os viu, ele perguntou:

− De qual região ou terra esses aí foram conduzidos?
− Da ilha da Britânia, cujos habitantes todos se lhes assemelham – responderam.

Gregório tornou a perguntar:

− Acaso tais insulares são cristãos, ou ainda permanecem enveredados em erros pagãos?
− De fato são todos pagãos – lhe deram como resposta.

Então Gregório sentiu uma viva emoção e suspirou do fundo do coração: “Ah, grande tormento!”, disse, “o príncipe das trevas goza de homens tão radiantes, tanta graça na aparência e uma mente desprovida de graça interior!” Ainda outra vez inquiriu:

− Qual o nome desse povo?
− São chamados Anglos – lhe disseram.
− Bem – afirmou −, eles têm faces de anjos, de fato, e muito convém que sejam co-herdeiros dos anjos do céu. Qual o nome da província onde foram comprados?
− Os nativos de lá são chamados Deiri.
− Pois seja. Deiri, de ira arrancados e chamados para a misericórdia de Cristo. Como se chama seu rei?
− Se chama Alle – foi o que lhe disseram.

Gregório, brincando com o nome, disse:

− Aleluia, seja cantado um louvor a Deus Criador em todas as partes.



Original:

Nec silentio praetereunda opinio, quae de beato Gregorio traditione maiorum ad nos usque perlata est; qua uidelicet ex causa admonitus tam sedulam erga salutem nostrae gentis curam gesserit. Dicunt, quia die quadam cum, aduenientibus nuper mercatoribus, multa uenalia in forum fuissent conlata, multi ad emendum confluxissent, et ipsum Gregorium inter alios aduenisse, ac uidisse inter alia pueros uenales positos candidi corporis, ac uenusti uultus, capillorum quoque forma egregia. Quos cum aspiceret, interrogauit, ut aiunt, de qua regione uel terra essent adlati. Dictumque est, quia de Brittania insula, cuius incolae talis essent aspectus. Rursus interrogauit, utrum idem insulani Christiani, an paganis adhuc erroribus essent inplicati. Dictum est, quod essent pagani. At ille, intimo ex corde longa trahens suspiria: ‘Heu, pro dolor!’ inquit, ‘quod tam lucidi uultus homines tenebrarum auctor possidet, tantaque gratia frontispicii mentem ab interna gratia uacuam gestat!’ Rursus ergo interrogauit, quod esset uocabulum gentis illius. Responsum est, quod Angli uocarentur. At ille: ‘Bene,’ inquit; ‘nam et angelicam habent faciem, et tales angelorum in caelis decet esse coheredes. Quod habet nomen ipsa prouincia, de qua isti sunt adlati?’ Responsum est, quod Deiri uocarentur idem prouinciales. At ille: ‘Bene,’ inquit, ‘Deiri; de ira eruti, et ad misericordiam Christi uocati. Rex prouinciae illius quomodo appellatur?’ Responsum est, quod Aelli diceretur. At ille adludens ad nomen ait: ‘Alleluia, laudem Dei Creatoris illis in partibus oportet cantari.’



História Eclesiástica do povo inglês, livro II, capítulo I

UPDATE, 23/8: Tem uma tradução de uma parte do livro I no site do prof. Ricardo Costa.

1 comment:

Tanja Krämer said...

Traducción muy tosquita. :P