Thursday, November 02, 2006

A ilusão é a realidade

A literatura é boa porque é tudo mentirinha. A mentirinha é a realidade mais essencial, e a realidade do dia-a-dia geralmente é a mentirinha mais radical.

Uma vez li num blog por aí que tem gente que parece um personagem inverossímil. Concordo! Muita gente, caso se tornasse personagem de um conto, pareceria mal feita, bisonha, falsa.

A gente é feito de ilusão. Ok, a frase é manjada, mas é verdadeira. A ilusão explica tudo. Se você retira da vida a ilusão, o mundo vira uma coisa sem sentido. Existe quem acha isso um passo para a vida adulta. Não acho. Fazer isso é virar pedra. Ela é o ser mais sem ilusão do mundo. Simplesmente está ali e jamais imagina coisa alguma. É batida de um lado e do outro pelo vento ou pela água. Não cria nada porque é estéril. Sua aparência compacta e simples se dá às custas de não ter vida nenhuma. Quem joga fora a ilusão vira um mineral. Quem a joga fora se torna um castrado.

Bernanos dizia que um mendigo não precisa de pão. Precisa de uma ilusão. Eu diria que se você der a ilusão a ele, em seguida ele vai se levantar e vai conseguir o próprio pão. Ele virou o que virou porque se tornou mais realista, e como mais realista ele apenas vive com pouco menos do necessário. Se bem que há pessoas que têm trabalho e tal, mas a cabeça é de pedinte.

É por tudo isso que eu disse que a ilusão é a realidade mais essencial. Ela é a pedra angular da vida, ou melhor, da boa vida. Ela é seiva da vida. Sem ela, tudo seca.

No comments: